O processo de investigação – 2ª fase

Nesta 2ª fase do Tema 1, foi sugerida a análise da Dissertação de Mestrado de Ana Paula Alves, “E-Portefólio – um estudo de caso”.

Neste estudo, a investigadora estabeleceu como objectivo “analisar a viabilidade e a adequação da implementação de portefólios de Matemática, suportado pela tecnologia Moodle, a turmas de alunos do ensino básico”.

A investigadora definiu três questões principais de pesquisa:

“1. Como é que se pode organizar e implementar um programa de e-portefólios no contexto da disciplina de Matemática?

2. Como se desenvolverá a participação e o envolvimento dos alunos na construção do respectivo e-portefólio?

3. Que vantagens/desvantagens poderão estar associadas à selecção do ambiente Moodle na aplicação do programa de e-portefólios no contexto da disciplina?” (p.30)

e os objectivos principais de investigação:

“Organizar e implementar um programa de portefólios electrónicos numa turma de alunos do ensino básico, no contexto da disciplina de Matemática;
Analisar a participação e o envolvimento dos alunos na construção dos respectivos eportefólios;
Perceber as vantagens/desvantagens do ambiente Moodle na aplicação de um programa de e-portefólios no contexto da disciplina de Matemática” (p.30)

A investigadora expõe na sua dissertação dois paradigmas de investigação – positivista e interpretativo, os quais se diferenciam ao nível ontológico, epistemológico e metodológico . (p.103) Refere ainda que “a adopção de um determinado paradigma de investigação deve guiar o investigador sobre três níveis: a matéria a investigar; a relação existente entre investigador e investigado; e os métodos a usar na investigação.” (p.103)

Paradigma positivista:

  • generalizações teóricas, aplicadas universalmente (leis)
  • a teoria guia o investigador que observa a realidade e formula hipóteses
  • variáveis de índole quantitativa são testadas estatisticamente ou laboratorialmente

Paradigma interpretativo:

  • qualitativo
  • hermenêutica
  • naturalista
  • construtivista
  • objectivo: compreender a realidade circundante na sua especificidade; querer saber o porquê e os significados dos fenómenos
  • segue uma lógica indutiva: a teoria surge à posteriori dos factos
  • o investigador observa e procura interpretar a realidade e vai elaborando categorias que, com mais informações, irão transformar-se em constructos teóricos que irão formar a realidade
  • existe interacção entre investigador e investigado, num processo de dupla hermenêutica, na medida em que cada um interpreta e é interprete, produzindo-se conhecimento. (p.103)

“O método não determina o paradigma que sustente a investigação (Gomes, 2004: 180), podendo o investigador recorrer a métodos de carácter quantitativo e qualitativo. (p.105) – Abordagem mista

No caso dos fenómenos sociais, como é o caso da educação, os métodos de índole qualitativa são os mais indicados e são bastante diversificados. A investigadora do presente estudo optou por uma investigação empírica do tipo “estudo de caso“, método que, segundo Yin, permite estudar um fenómeno contemporâneo dentro do seu contexto de vida real. (p.105)

Sobre esta metodologia aconselho a consulta deste trabalho realizado no âmbito do Mestrado em Educação na Área de Especialização em Tecnologia Educativa, da Unidade Curricular de Métodos de Investigação em Educação, na Universidade do Minho; e a obra de Robert K. Yin, Estudo de caso: planejamento e métodos.

Os estudos de caso podem ser exploratórios, descritivos e explanatórios. O presente estudo inicide sobre a tipologia de caso único de características descritivas e exploratórias.

Nos estudos de caso a unidade de análise deve ser definida, ou seja, o “caso” em estudo tem de ser definido. (p.109)

Em caso de estudos de caso, o recurso a múltiplas fontes de dados e instrumentos é o mais frequente: documentação, entrevistas, observação participante, entre outros, o que sucedeu no presente estudo. (p.112)

A investigadora procedeu à calendarização da recolha de dados segundo a técnica utilizada, a qual foi realizada em simultâneo com a análise de dados. (p.115)

Sem dúvida, um documento de apoio ao percurso a desenvolver nesta U.C. e o qual creio que me será útil posteriormente dada a proximidade com o paradigma, metodologia, técnicas e instrumentos abordados neste estudo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s